domingo, 9 de dezembro de 2007

A Exigência no Amor!

A Exigência no Amor!


“Amarás o teu próximo como a ti mesmo”.

Dezembro nos grupos de Amor-Exigente é um momento especial e a emoção, invariavelmente, nos toca facilmente.
Para os coordenadores de grupos, ao olharem aqueles que passaram pelos 11 princípios e agora ali estão com um olhar diferente, um brilho e uma postura que nos deixa encantados.
Você os conhece, você os acompanhou nesta trajetória e percebeu o quanto lutaram para chegar até este mês com muita dignidade e esperança.
Dezembro é especial mesmo.
Porém, o amor precisa ser refletido em toda a sua abrangência e este mês proporciona esta reflexão.
Amar é fácil?
Se eu partir da idéia do que coloquei no início do texto “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”, e notem que eu não coloquei o autor que escreveu este mandamento. E não fiz por considerar que ele, muito mais do que estar ligado a uma religião, é uma fórmula mágica.
Notem que este mandamento tem uma proximidade muito grande com o Amor-Exigente. O princípio de cada mês sempre começa em mim e depois no outro.
Ora, se eu não me amo como posso amar o outro?
Quem ama não exige do outro, exige de si mesmo. Exigir do outro é como considerar que o amor seja uma obrigação e não uma doação.
Por isso que eu não posso exigir que o meu filho me ame. Posso exigir sim que ele me respeite.
Agora, devemos amar ao outro tanto quanto nos amamos, nem mais nem menos. Pois, se você amar o outro menos do que você ama a si mesmo, você estará sendo egoísta. Você é uma pessoa que só pensa em si mesmo. Este amor não dará certo. Agora, se você o outro mais do que você ama a si próprio, você estará se colocando em segundo plano. Você vai se sentir inferior e cobrará dos outros um amor a mais do que você deveria sentir por si mesmo.
Por isso que a Marina Canal e o Helio Caetano colocam no livro Amor-Exigente Espiritualidade Uma Nova Vida, que o amor começa a ser construído no amor-próprio e que é aprendendo a amar a si próprio que as pessoas aprendem a amar o outro.
A falta de amor-próprio faz com que a pessoa acabe tornando-se permissiva, insegura, infeliz, inferior, medrosa e caba fazendo o que os outros querem que ela faça. E, pode ter certeza, esta pessoa será candidata a codependência.
E a codependência de quem não ama a si próprio, acontece quando esta pessoa esta empenhada desesperadamente em satisfazer os desejos do outro como forma de garantir um sentimento, que poderá ser amor ou afeição, que esta pessoa pode sentir por ela.
A pessoa que não ama a si próprio não reconhece em si qualidades e talentos e se acha inferior às outras pessoas.
O amor é o alimento da alma assim como a comida é para o corpo. Sem comida o corpo enfraquece e sem amor a alma também enfraquece.
A pessoa que ama e respeita si mesmo, também vai respeitar os outros. Pois ela sabe o quanto é fundamental para ela amar e respeitar a si mesmo e o quanto tal atitude exige de esforço e constância de objetivo.
Um outro aspecto do amor é que eu preciso me considerar digno de amar e de ser amado. Por mais que tenhamos passado por dificuldades em nome do amor, eu não posso perder a referência positiva do que seja amar e ser amado.
Normalmente relacionamos amor com dor, com perda de identidade e vamos assumindo o pensamento que o melhor é não amar. Assim, eu não me exponho e não sofro.
A pessoa que ama a si mesmo com equilíbrio e dignidade, desfruta tanto do amor e se torna tão feliz consigo mesmo, que o seu amor começa a contagiar os outros. E este viver feliz em virtude do amar-se, começa a ser compartilhado e os outros vão gostar de estar com você.
Perceba porque as pessoas gostavam de ficar perto de Jesus, Madre Teresa de Calcutá, Gandhi, Chico Xavier e tantos outros que transbordavam de amor.
Não esqueça, o amor é uma opção espontânea e livre. Amar a si mesmo é um requisito para vivenciar a felicidade.
E o nosso trabalho no Amor-Exigente, enquanto coordenadores de grupos e ser um bom ouvinte. E um bom ouvinte oferece a dádiva da empatia que assegura ao outro que ele não está só. E esta dádiva de sair de si e de alguma forma permanecer com o outro é uma dádiva muito preciosa.
E esta dádiva eu chamo de Amor.
Jamais esmoreçam neste trabalho magnífico que todos vocês estão fazendo.
Quando pintar aquele sentimento de cansaço e desânimo, peça ao nosso Deus a força necessária para continuar seguindo em frente trilhando este caminho de luz e de bênção.
Deus em sua imensa sabedoria e bondade dá a cada um de nós a oportunidade para que possamos expressar o nosso Amor aos nossos semelhantes de várias formas. E eu não tenho a menor dúvida de que todos os que hoje doam o seu tempo nas reuniões de Amor-Exigente, estão expressando o seu Amor através da dedicação ao próximo.
E eu particularmente, me sinto um felizardo e agradeço todos os dias a Deus por ter colocado pessoas maravilhosas para ajudar o Amor-Exigente a ajudar a quem precisa.
Este Natal vai ser o Natal de nossas vidas e o melhor Natal de muitas pessoas que freqüentaram e que ainda freqüentam as nossas reuniões.
Quando estivermos comemorando o Natal com os nossos familiares, vamos pensar em cada um que participa de nossas reuniões como se fossem nossos familiares. Afinal, somos todos irmãos em Cristo.
É uma dádiva ser Coordenador do Amor-Exigente em Santa Catarina tendo vocês como companheiros e irmãos de caminhada.

Um Feliz Natal e um Ano Novo de grandes realizações a todos.


Sérgio Carlos de Oliveira
Coordenador do Programa do Amor-Exigente em Santa Catarina







2 comentários:

CresceNet disse...

Gostei muito desse post e seu blog é muito interessante, vou passar por aqui sempre =) Depois dá uma passada lá no meu site, que é sobre o CresceNet, espero que goste. O endereço dele é http://www.provedorcrescenet.com . Um abraço.

jamile disse...

Adorei participar da reunião do AMOR EXIGENTE, daqui do RECIFE. Foi muito bom conhecer o grupo e poder participar, pretendo não faltar a nenhuma reunião. Senti que não era apenas um problema meu, era de muita gente também.