quarta-feira, 1 de agosto de 2007

O Bernardinho Sabe Tudo de Crise!

O Bernardinho Sabe Tudo de Crise!


Vamos nos dar a oportunidade de gerar crises.
Vamos parar de ser reservas e entrar em quadra pra jogar.
Na pior das hipóteses podemos ganhar uma medalha de ouro.


Dois episódios do técnico Bernardinho da seleção brasileira de vôlei transmitido ao vivo pelo Jornal Nacional, portanto em horário nobre, demonstraram que ele sabe muito sobre crise. Acredito até que ele daria um excelente coordenador de grupo de Amor-Exigente.
O primeiro episódio aconteceu na fila do aeroporto quando o técnico está na fila do check-in, quando alguém chega para tirá-lo da fila e passar na frente de todos e pegar o avião. Prontamente o Bernardinho diz à pessoa que quer tirá-lo da fila que ele vai ficar na fila como todos estão. Que ele chegou depois destas pessoas e não seria justo passar na frente delas.
Ora, esta pessoa que deveria ser de algum órgão governamental, talvez sem saber, estava gerando uma crise e quem sofreria as conseqüências seria o Bernardinho. Se ele realmente passasse à frente das pessoas, poderia haver um tumulto e as pessoas teriam o direito inclusive de vaiar a atitude. E imagem do técnico ficaria manchada por um detalhe que, aparentemente, parecia não ter grande importância.
O outro episódio e também de fundamental importância, aconteceu após a vitória da seleção brasileira de vôlei, quando um repórter da rede globo entrevistando o técnico fez uma pergunta sobre o episódio do Ricardinho (cabe lembrar que o Ricardinho foi afastado da seleção de vôlei para a disputa do pan) e ele fez a seguinte declaração:

-Os princípios e os valores, aliados a disciplina, estão acima de uma medalha de ouro. E eu não posso abrir mão disto tudo apenas por uma circunstância. O conjunto precisa estar unido e somente assim é possível chegar ao sucesso.

Para quem acompanhou o episódio da dispensa do Ricardinho notou que a imprensa fez um grande alarde, inclusive influenciando as pessoas a vaiar o técnico no primeiro jogo da seleção e mais ainda quando o filho do técnico entrou em quadra. Não faltaram declarações depreciando a atitude do Bernardinho, pois estava tirando o melhor levantador e isto provocou a ira de muitos jornalistas.
Diferente do episódio do aeroporto, neste caso o técnico gerou uma crise, tirando o melhor levantador, e administrou a crise com serenidade, coragem e sabedoria. E provou que estava certo ao ganhar a medalha de ouro.

Os dois episódios demonstram claramente a diferença entre você sofrer com uma crise, gerada por alguém, e você gerar uma crise e administrá-la.
Acredito que o medo que a maioria das pessoas têm de crise é pelo fato de que sempre sofreram com as crises geradas pelos outros. E estes outros, geralmente, são os nossos filhos, maridos, esposas...
Alguns poderiam pensar que se a seleção brasileira de vôlei não tivesse ganhado a medalha de ouro, o Bernardinho poderia ser responsabilizado. Claro que poderia. No entanto, o medo da tomada de atitude que certamente vai levar a uma crise, poderia levar o treinador a perder uma excelente oportunidade de descobrir um talento que poderia estar no banco de reservas.
Crise significa riscos sim. Mas também significa oportunidades. O que não podemos é deixar de tomar atitudes apenas pelo medo dos riscos.

O que não podemos é esperar mudanças quando estamos fazendo as mesmas coisas.
Ao provocar uma crise afastando o Ricardinho da equipe, o Bernardinho estava administrando a crise. Ele sabia que poderia contar com o Marcelinho (levantador reserva) e trabalhou a equipe para esta mudança.
Eu fico aqui pensando comigo mesmo, o Bernardinho deve ter lido o livro do Amor-Exigente. Ele sabia que uma crise bem administrada é uma excelente oportunidade de mudança.
Ao ver a seleção ganhar a medalha de ouro, o Ricardinho vai ter mais humildade e não achar-se mais insubstituível. O Marcelinho ao ganhar a medalha de ouro vai acreditar mais no seu potencial de levantador.
O Bernardinho sabe tudo de “de-fi-for-ex”. E provou saindo vencedor com a equipe unida e coesa.
Agora, se o Bernardinho que é conhecido mundialmente foi altamente criticado pela tomada de atitude, imagine aquele pai que deixou o filho na cadeia em virtude de ser preso por estar dirigindo sem carteira. Diga-se de passagem, que o filho roubou o carro para dar umas voltas.
Da mesma forma que todos entenderam, ou quase todos, que a atitude do Bernardinho foi para preservar o seu papel de liderança da equipe e é justamente isto que faz uma equipe de sucesso, da mesma forma somos nós pais ao tomarmos atitudes que precipitam crises. É com o objetivo de manter a família unida e vencedora.
Gerar crises apenas com sentimentos de vingança e raiva, pode significar o insucesso do que esperávamos.
Acho que fiquei fã do Bernardinho. O Bernardinho pratica o Amor-Exigente. Será que ele tem um livro do Amor-Exigente? Se ele não tem e já faz isto tudo, imagine se o tivesse?
Tomada de atitude que não gera crise, não é tomada de atitude e sim tomada paliativa de atitude.
Vamos nos dar a oportunidade de gerar crises. Vamos parar de ser reservas e entrar em quadra pra jogar. Na pior das hipóteses podemos ganhar uma medalha de ouro.
E para encerrar, não poderia deixar de destacar a maravilha que foi o nosso congresso na cidade de Uberaba. O povo danado de bom este de Uberaba. Encontrei pessoas que só conhecia pelos orkut e msn da vida. Voltei mais apaixonado por estas pessoas que estão no Amor-Exigente. No avião de volta para casa bateu uma tristeza muito grande. Fiquei com uma saudade de todos que foi impossível segurar as lágrimas. Tomara que estes dois anos passem bem rapidinho para que possamos nos encontrar novamente.

Um grande e fraterno abraço amigos de caminhada.

Sérgio Carlos de Oliveira – Serginho
Coordenador do Programa do Amor-Exigente em SC

4 comentários:

Edna disse...

Parabéns Sergio,
Pelo seus artigos, tenho utilizados em nossas reuniões de AE em Guaira-SP.

Anamaria disse...

Oi Sérgio,

Muito coerente seu artigo e me fez refletir muito.
Mas confesso que as vezes sinto tão despreparada para esta mudança.

marli disse...

gostei muito de poder compartilhar com meus amigos nesta pagina

marli disse...

Oi amigo de caminhada fiquei muito feliz em ler esta sua mensagem pois sei q voce no final falou de mim tambem, que bom né e com certeza nos veremos novamente o ano que vem no nosso 9º encontro do AE... Abraços